CELSO FONSECA Celso Fonseca

É desde sua estréia profissional em 1981, um dos músicos brasileiros mais atuantes no cenário da MPB.

Conhecido muito tempo como guitarrista, tocou e gravou com artistas como Gilberto Gil, Milton Nascimento, Djavan, Gal Costa, Jorge Ben Jor, Chico Buarque, Caetano Veloso, Elza Soares, Marisa Monte, Adriana Calcanhotto, João Bosco, Jorge Mautner, Sergio Sampaio, Raul Seixas, com o lendário guitarrista Carlos Santana entre muitos outros.

Sua carreira de produtor começou em 1986, produzindo um disco de Vinícius Cantuária. Em seguida foi produtor de Gilberto Gil, Gal Costa, Virgínia Rodrigues, Daniela Mercury, Daúde, Dulce Quental, Zeca Baleiro, Paulinho Moska, Mart'nália, do grande mestre da guitarra portuguêsa António Chainho, da cantora Paula Morelenbaum e diversos outros.

Como compositor, sua carreira começa em 1983, tendo como principal parceiro o compositor Ronaldo Bastos. Logo a canção "Sorte", de autoria de ambos, foi gravada por Gal Costa e Caetano Veloso. Em seguida Celso Fonseca foi gravado por muitos outros intérpretes, como Nana Caymmi, Maria Bethânia, Gilberto Gil, Gal Costa, Daniela Mercury, Zizi Possi, Ney Matogrosso, Carlinhos Brown, Belô Velloso, Ana Carolina, Verônica Sabino, Clara Moreno, Dominguinhos, Jamelão, Mart'nália, Virgínia Rosa, Bossacucanova, Ana Costa entre outros.

Como artista, tem onze discos lançados. O primeiro foi "Minha cara", pela WEA, em 1986. Depois lançou uma trilogia com Ronaldo Bastos que inclui os elogiadíssimos "Sorte" (1994 ) e "Paradiso" (1997). O terceiro da série - "Juventude / Slow motion Bossa Nova" - teve duas indicações ao prêmio Grammy Latino em 2001: melhor disco de MPB e melhor canção de MPB com "A voz do coração", dele e Bastos.

Celso tem lançado dois CDs ("Natural" e “Rive Gauche Rio”), pelo selo belga Ziriguiboom/Crammed. Esses discos foram elogiadíssimos pela crítica e tem sido dos mais vendidos entre os artistas brasileiros que lançam discos no mercado internacional. Com isso, ele foi o segundo artista brasileiro a gravar em 2003 na BBC 1, o programa "Later with Jools", de Jools Holland, o mais importante apresentador de música popular no mundo.

Com "Natural", lançado em 2003, conquista as páginas dos principais cadernos culturais na Europa e Estados Unidos. Seu CD “Rive Gauche Rio”, de 2005, foi eleito pelo jornal inglês "The Sunday Times", como um dos dez melhores do ano em todas as categorias e também ficou na lista dos melhores do ano na categoria World Music no site I Tunes da Apple.

Em 2006, sai pela Dubas Música, a compilação “Polaróides”,síntese da trilogia com Ronaldo Bastos com três faixas bônus inéditas. O CD obteve nota máxima por quase toda a imprensa especializada.

Em 2007, foi lançado “Feriado”,com a participação de Marcelo D2 como convidado na faixa “Viajando na viagem“. O CD teve uma ótima repercussão de crítica, tendo a versão da musica “Você não entende nada“ de Caetano Veloso, entrado na programação das rádios e também na novela “Duas caras” no horário nobre da Rede Globo de Televisão. Celso também participou de dois capítulos da novela cantando duas músicas.

Em 2008, grava seu primeiro DVD no Canecão, sob a direção do premiado Roberto de Oliveira, diretor da série de DVDs de Chico Buarque. Nesse show, Celso contou com as participações especiais de Gilberto Gil, Roberta Sá e Ana Carolina, além de seu filho João Pedro Fonseca. A versão da canção “Um dia de domingo”, em duo com Ana Carolina, fez grande sucesso nas rádios de todo o Brasil. Ao mesmo tempo é lançado o CD “Celso Fonseca ao vivo”,registro do mesmo show.

No segundo semestre de 2009, é lançado um CD contendo 12 canções inéditas em parceria com o compositor Marcos Valle. Esse disco foi gravado com a participação do grupo Azimuth e também de uma orquestra de 20 elementos, com arranjos e orquestração de Jessé Sadock. Todas as canções foram escritas pela dupla, especialmente para esse projeto.

Ainda em 2009, Celso grava mais um DVD sob a direção de Roberto de Oliveira. Dessa vez um registro de voz e violão, onde Celso interpreta em sua maioria, canções de compositores que ele admira, como Tom Jobim, Chico Buarque, Baden Powell, Roberto e Erasmo Carlos, Rita Lee, etc.

Com seu trabalho autoral, Celso e banda tem feito grandes tournées anuais pela Europa, Japão e Estados Unidos e sua música tem sido muito executada fora do país.

© foto de Washington Possato